No final dos anos 80 e meados dos anos 90, a frota de ônibus urbanos e metropolitanos de Curitiba era bem diversificada, e as características desses veículos eram muito diferentes dos modelos atuais. 
Vamos ver nesta matéria algumas imagens daqueles dias que ficaram registradas na memória e nestas fotos que falam por si próprias. 

Em Curitiba, cuja frota tinha pintura padronizada, havia uma diversidade de modelos e no final dos anos 80, praticamente já não existia mais nenhum vestígio das antigas pinturas dos anos 60 e 70.
A frota estava padronizada e o verde e amarelo predominantes nas pinturas anteriores havia desaparecido dando lugar a pinturas padronizadas de acordo com as categorias das linhas que atendiam. 
 
O vermelho para o sistema expresso, amarelo para linhas Convencionais e Alimentadoras e verde para as periféricas denominadas Interbairros. As linhas especiais e operadas com micro ônibus eram diferenciadas com azul para a Linha dos Estudantes, alaranjado para Seletivo e branca para Vizinhança e Circular Centro.
 

Vermelho – Expresso

 

Amarelo – Convencional

 

Amarelo – Alimentador

 

Laranja – Alimentador

 

Verde – Interbairros

 

Branco – Circular Centro

 
Houve um momento em que a cor dos ônibus Expressos, em decorrência da implantação da frota pública, passou a ser substituída pela cor alaranjada da frota da prefeitura que foi aplicada em algumas unidades da frota das empresas privadas. Mas com a volta da aplicação do vermelho aos expressos, o alaranjado foi aplicado aos ônibus alimentadores e se mantém assim até hoje. 
 
 
Já na frota metropolitana, além dos modelos haviam as pinturas das frotas, cujas empresas tinham a liberdade de escolher a identidade visual a ser aplicada em seus ônibus.
Com o gerenciamento das linhas deixando de ser de atribuição do DSTC e passando a ser  coordenado por outro órgão estatal, a COMEC, a pintura foi padronizada de acordo com cada região a ser atendida e várias cores foram aplicadas a frota de forma única e abrangente.
 
A frota metropolitana também evoluiu e acompanhou o padrão de qualidade da capital, utilizando ônibus pesados e com maior capacidade de transporte.
As pinturas da frota metropolitana e da frota urbana, com o passar dos anos, acabaram sendo unificadas por conta da integração das linhas urbanas da capital com as linhas das cidades da região metropolitana. 
 
 
No momento atual, após a desintegração de algumas linhas, o órgão gestor do sistema metropolitano direciona para uma padronização mais simplificada com a predominância da cor branca de forma integral na frota. 
Os ônibus atuais são tecnologicamente muito superiores aos modelos antigos, mas muitas das linhas atendidas hoje por ônibus mais modernos já eram atendidas por modelos mais rústicos e tecnologicamente inferiores, mas que nem por isso deixavam seus usuários na mão em termos de eficiência e segurança.
 

About The Author

Related Posts

One Response

  1. Rodrigo Ribeiro

    Nossa!! Agora voltei no tempo vendo esse Veneza II fazendo o Itamarati. Com certeza eu devo ter andado várias vezes nesse carro. Eu cresci no Xaxim e era essa a linha que passava a uma quadra de casa. Ainda me lembro destes carros, rodaram até 1988/89, depois foram substituídos pelos monoblocos EA089 e EA092.

    Responder

Leave a Reply

Your email address will not be published.