Curitiba foi notícia no site da revista norte americana TIME. A matéria fala sobre a inauguração do Ligeirão Azul, um pouco sobre a história do transporte coletivo e as inovações realizadas na capital do Paraná.
Existem pessoas que não concordam com o conteúdo aplicado na matéria, por parecer uma “propaganda enganosa” da cidade lá fora. Mas até aqui, nada parece ser mentira. Depois de tanta propaganda realizada na década de 90 pela prefeitura aos quatro cantos do país, seria inevitável o êxodo rural na capital e também a vinda de pessoas das regiões norte e nordeste do Brasil em busca de oportunidades na “capital ecológica”. E você, concorda que esse tipo de matéria é uma propaganda “paga” de Curitiba para o mundo apesar da reportagem estar falando algo conhecido por nós curitibanos?
Comente.


GE703

Ônibus comprido, tempo curto de espera

Por AYESHA AND PARAG KHANNA

 

Em 05 de abril, Luciano Ducci, o prefeito de Curitiba, no Brasil, embarcou no maior ônibus urbano do mundo em seu passeio inaugural pela cidade, marcando mais um golpe para o sistema de transporte da cidade. Produzido exclusivamente para utilizar biocombustíveis (feitos a partir da soja), a 92 pés de comprimento (28 m) o ônibus Mega BRT pode transportar 250 passageiros de uma vez e faz apenas quatro paradas ao longo de um percurso de 6 milhas (10 km). Com uma frota 24 veículos, o sistema transporta uma média de 25.000 pessoas por dia.

Curitiba pode ser a original cidade inteligente. No início de 1960, ela foi atormentada pela expansão e congestionamento. O arquiteto Jaime Lerner respondeu com o Plano Diretor de Curitiba, uma estratégia de design urbano, cuja peça central era um sistema de transporte acessível e eficiente. Aprovada em 1968, o plano diretor tornou-se a peça fundamental do projeto de Curitiba – e Lerner se tornou prefeito.

Uma das marcas da cidade é as suas parcerias público-privadas. Na década de 1970, por exemplo, Curitiba estava se aproximando rapidamente de 1 milhão de habitantes, o limite típico para a instalação de um sistema de metrô. No entanto, o preço era de exorbitantes US $ 300 milhões. Lerner apresentou ao setor privado, com uma única solução: com o governo, construir um sistema de ônibus rápido que teria todas as comodidades de um metrô – a velocidade, confiabilidade, acessibilidade e freqüência. As empresas investem na frota de ônibus, e que o governo vai traçar o itinerário. O resultado – a rede Bus Rapid Transit (BRT) – tornou-se o primeiro sistema mundial de ônibus metronizado. Mais de 2,3 milhões de pessoas por dia agora viajam nele, e Curitiba tem o menor nível de poluição atmosférica no Brasil.

Pelo menos 83 cidades em todo o mundo copiaram o sistema BRT de Curitiba. Com as populações rurais vindo para áreas urbanas, os milhares de desafios das cidades são o congestionamento e tráfego. Só na China, 350 milhões de pessoas vão migrar das aldeias para as cidades em 2030. Em Guangzhou, uma das cidades que mais cresce na China, o sistema de BRT transporta 800.000 passageiros por dia e reduziu o tempo médio de deslocamento pela metade. Principais cidades nos EUA também estão prestando atenção. Em 15 de abril a Chicago Transit Authority aprovou uma doação de US$ 1,6 milhões para explorar a introdução de um sistema BRT junto a Western Avenue. Só podemos esperar que a cidade de Nova York faça um movimento semelhante.

Ayesha e Parag Khanna são diretores da Hybrid Reality Institute, um local de idéias que explora as implicações das novas tecnologias

Lições Urbanas

O mais inteligente Ônibus do Mundo
O sistema de Curitiba realmente se assemelha a um metrô, com faixas de trânsito exclusivas, venda de bilhetes pré-pagos e sensores de ônibus que se comunicam com semáforos inteligentes, permitindo que os ônibus possam prosseguir em velocidade contínua.

Síndrome da China
O trânsito intenso é endêmica no Reino Médio. É por isso que cidades de rápido crescimento, como Cantão estão adotando o sistema de BRT para levar centenas de milhares de passageiros por dia com mais rapidez.

Não desperdice, não quero
As parcerias público-privadas fazem as coisas funcionarem em Curitiba, onde as crianças são ensinadas a separar o lixo de materiais recicláveis ​​e depois ir para casa e ensinar os pais como fazê-lo também. (Como resultado, mais de 75% do total de lixo da cidade é reciclado.)

Matéria de TIME. Leia na versão original.

About The Author

Fundador do Site Ônibus de Curitiba. Admirador de ônibus e modais de transporte desde sempre. Para Diego tudo podia virar ônibus, desde brinquedos, bicicletas, vídeo-games de corrida e até mesmo carros. Quem nunca brincou de fazer linha com algum desses itens? Pois é, Diego sempre fez. Também é fã de tecnologia e gosta de conciliar ambos os gostos, mas nem por isso deixa de encantar-se com modelos clássicos, que não eram dotados de tanta tecnologia assim.

Related Posts

2 Responses

  1. Rodrigo

    Comparado com o transporte público de outras cidades, Curitiba realmente sai na frente.

    Parabéns a cidade e a Volvo!!!!!

    Responder

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Pular para a barra de ferramentas