Articulado da Viação Colombo antes de ser pintado de branco califórnia

 

A Viação Colombo, que opera no município da Região Metropolitana de mesmo nome, comprou 2 novos articulados (23400 e 23401) para incorporar à sua frota. As duas unidades de carroceira Caio Mondego possuem configuração inédita na região: são articulados de piso baixo, chassis Mercedes Benz O500UA. Até então, os únicos ônibus piso baixo de Curitiba foram os BC157 e BC158 e os CC157 a CC159, que já foram retirados do sistema há muito tempo.

Estes ônibus ano 2008 pertenciam a empresa Rodopass de Belo Horizonte-MG e operavam nas linhas administrativas, que atendem a região que equivale ao Centro Cívico em Curitiba. Com um bom estado de conservação dos veículos, a Viação Colombo os trouxe e rapidamente os pintou na cor padrão do serviço metropolitano e nos próximos dias estarão em operação nas linhas de alta demanda da região, operando em conjunto com os articulados Marcopolo Torino 99 Volvo B10M ex Expresso Azul.

Com a administração metropolitana de transporte coletivo nas mãos da COMEC, a empresa pode mantê-los nas suas configurações originais, sem a necessidade de adaptações para o “padrão Curitiba” conforme determina a URBS. Entre os detalhes estão:

  • Bancos 100% almofadados;
  • 3 portas, sendo 2 no primeiro vagão (igual ao padrão de Curitiba) e 1 no final do segundo vagão;
  • Capela com itinerário digital na traseira;
  • Itinerário digital na primeira janela do lado esquerdo do veículo, após a do motorista;
  • Do lado direito, apenas na primeira janela após a porta de entrada;
  • Vigia traseiro (vidro traseiro) fechado;
  • Fileiras de 2 bancos em cada lado do veículo.

 

Usados? Porque não?

Com a chegada desses 2, dos outros 4 da Viação do Sul e 1 da Viação Graciosa, levantou-se diversos questionamentos e muita polêmica a respeito das aquisições de veículos usados. Claramente que depois de tanto tempo acompanhando milhares de novos ônibus desembarcando na cidade, nos acostumamos a querer sempre o mais novo. Porém não podemos esquecer que esta rotina de comprar ônibus usados não é nova, não é moda e nem se restringe à região e ao próprio país. Há muito tempo as empresas do transporte público da região compram veículos usados dentro dos padrões estipulados pelos órgãos gerenciadores. Até mesmo o repasse de ônibus entre empresas do mesmo grupo ou consórcio vem para endossar que um ônibus de outra região não é um problema nem oferecerá quaisquer riscos, uma vez que se encontram dentro do prazo de vida útil e passaram/passarão por vistoria como qualquer outro ônibus que circule por aqui.

23401Em fato, o que na verdade isso representa é que as empresas estão sim focadas no aumento do conforto aos usuários e na quantidade de acentos disponibilizados. Esta pró-atividade por muito tempo ficou ofuscada frente às regras da URBS que definiam se a demanda seria compatível ao custo de aquisição e operação de se ter veículos articulados.

Sem dúvida será uma experiência muito positiva para os usuários de Colombo, que desfrutarão de veículos com fácil embarque e desembarque, bancos confortáveis e mais espaço para seguir viagem para mais um dia de trabalho ou após um longo dia.

Nos resta esperar para verificar o saldo desta aposta da Viação Colombo.

Foto de capa: João Carlos Schneider – do site Bus On The Road.

About The Author

Fundador do Site Ônibus de Curitiba. Admirador de ônibus e modais de transporte desde sempre. Para Diego tudo podia virar ônibus, desde brinquedos, bicicletas, vídeo-games de corrida e até mesmo carros. Quem nunca brincou de fazer linha com algum desses itens? Pois é, Diego sempre fez. Também é fã de tecnologia e gosta de conciliar ambos os gostos, mas nem por isso deixa de encantar-se com modelos clássicos, que não eram dotados de tanta tecnologia assim.

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.